Entries with tag scuba

30
Apr

Mergulho

Esta foto deixou-me cheio de vontade de mergulhar.

08
Aug

Undersea Lodge

Some videos about the undersea lodge. The following video is more than 20 years old (notice the scuba gear on the moon pool). This place is really cool, it mixes sci-fi with the tecno style of the 80's.

I was expecting to find more videos. Bellow is a selection from what I could find. It seems visibility is not the the best on this lagoon.

11
Jan

O tanque mais fundo

Aproveitando uns dias na Bélgica dei um salto à piscina de mergulho Nemo 33, supostamente o tanque de mergulho mais fundo do mundo.

Com água doce a 33 ºc foi sem fato de neoprene e sem lastro. A visibilidade da água é total (e o que a água não tem em sal, tem o dobro em cloro).

Tem umas "cavernas". Enfim, não são cenotes, nem sequer cavernas, apenas umas passagens ao nível dos dez metros por baixo da plataforma dos cinco metros.

Nas passagens há bolsas de ar que permitem sair da água para conversar e tirar umas fotografias.

E depois existe o poço com 33 metros (no computador marcou 34.1). Foi interessante descer o poço. Na altura pareceu-me boa ideia ficar para trás para evitar a confusão dos cerca de dez tipos ansiosos por descer primeiro. Mas ser o último a descer tem uma particularidade. Um grupo lá em baixo a respirar a 30 metros faz muitas bolhas. Foi uma descida numa nuvem de bolhas tão grande que mesmo sem regulador acho que dava para respirar.

Os mergulhos são de 45 minutos. Entre descer o poço, dar um passeio pelas "cavernas" e fazer uma paragem de segurança, o tempo passou num instante. Ainda estava longe de pensar em sair quando veio o sinal de fim de mergulho. Julgo que isso quer dizer que foi um bom mergulho.

Ao nível dos cinco metros a piscina tem umas janelas de grandes dimensões. Do bar e do restaurante é possível ver quem mergulha. E dentro de água é também curioso flutuar sobre o almoço dos que escolhem encostar-se às janelas.

Por fim algumas curiosidades. Com três pessoas tratam de tudo. Talvez por isso, um mergulho, que inclui o aluguer de todo o equipamento, custa 20€. Em muitos centros de mergulho isso não chega para o aluguer do equipamento. E mesmo neste país de pouco sol, são usados painéis solares para aquecer a água da piscina. Uma das coisas que gosto no norte da Europa é ver estes casos de grande optimização de custos e impacto ambiental.

17
Nov

Mergulhos em Cabo Verde

São muito bons os mergulhos em Cabo Verde. Fui para lá sem grandes expectativas pois Cabo Verde é um conjunto de ilhas no atlântico e este não é definitivamente o oceano mais famoso do mergulho. E assim foi uma boa surpresa encontrar águas com muito boa visibilidade (20-30 metros) e com muitos peixes, incluindo um dos meus favoritos o peixe papagaio. E, mesmo sendo Novembro, águas quentinhas (25-27ºC), mas com isso já estava a contar.

Cabo Verde também foi uma boa surpresa. Os cabo verdianos têm muitas razões para estarem orgulhosos, pois mesmo com poucos recursos naturais o país está a desenvolver-se rapidamente com base no turismo. Apesar de pobre, é um país organizado e não tem aquele subemprego que muitas vezes se encontra em África (por exemplo sair do aeroporto e ter vinte interessados em carregar as malas 50 metros para receber uma gorjeta). Não sou grande especialista em África, mas este ano já estive no Egipto e na África do Sul, e definitivamente Cabo Verde não se parece com estes países. Antes da viagem já tinha reparado que nos indicadores do gapminder se destacava dos restantes países africanos. Por exemplo, a figura de baixo compara a evolução de Cabo Verde e da África do Sul (é uma diferença assustadora).

De volta ao mergulho. A ilha com o turismo e com o mergulho mais desenvolvidos é a ilha do Sal e a maior parte dos resorts e hoteis ficam na zona sul da ilha, na vila de Santa Maria. Foi com o Manta Diving que mergulhei. O Manta é um centro de mergulho de português com vários sotaques (de portugal, brasil e cabo verde). Malta bacana, e que conhece bem os locais de mergulho (o principal wreck até foram eles que afundaram). Com mais cuidado nos detalhes (organização, manutenção dos equipamentos, etc) seriam um dive center de cinco estrelas (assim ficam pelas quatro e meia).

As saídas de mergulho são em barco e vai-se até ao pontão de jipe já com o equipamento. A distância de barco até à maioria dos locais de mergulho é curta (10-15 min). Não é o absurdo do conforto do Mar Vermelho, mas a equipa do centro faz muito para tornar tudo confortável (montam e desmontam equipamento, levam as garrafas para o barco, etc).

Entre os locais de mergulho que visitei estão dois wrecks. O Santo Antão é um barquinho pequeno que está a 10 metros e que deu para fazer um primeiro mergulho bastante calmo a procurar a vida marinha dentro e fora do barco. Já o Kwarcit, afundado a 25 metros, é um verdadeiro mergulho em wreck. Permite entrar nos porões de carga e e nos salões da tripulação, e com a possibilidade de subir as escadas do salão para a cabine de comando. Entre os mergulhos mais famosos não foi possível fazer o Buracona pois o principal barco do centro estava "quebrado" e apenas esse permite ir ao spot.

O Manta é uma boa opção. Mas são muitas as alternativas, por exemplo o Cabo Verde Diving (italianos), o Orca Dive Club (alemães), o Pro Atlantic ou o Scuba Caribe.

Acabando como comecei, é muito bom o mergulho em Cabo Verde.

13
Oct

Touareg Scuba Ad

Best car ad. Ever.

VW Tuareg Scuba Ad